Partilhe nas Redes Sociais

Altri mantém Portugal na liderança mundial de produção de pasta para papel

O Grupo assinou com o Estado português um contrato de investimento de 125 milhões de euros para introduzir processos inovadores de produção na Celbi e na Celtejo

Alcançar ganhos de eficiência energética e ambiental, aumentar a capacidade de produção da Celulose Beira Industrial SA (Celbi) e da Empresa de Celulose do Tejo SA (Celtejo), e criar emprego qualificado. Estes são os principais objectivos do investimento de 125 milhões de euros que a Altri se comprometeu a realizar com o Estado português.

O acordo de investimento foi selado com um contrato de investimento realizado no passado mês de Janeiro, e que contou com a presença do primeiro-ministro, António Costa, e dos ministros da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e da Agricultura e Florestas, Luís Capoulas Santos.

Dos 125 milhões de euros de investimento contratualizado com o Estado português, 85 milhões são relativos a melhorias a introduzir na Celtejo, em Vila Velha de Ródão, e os restantes 40 milhões são relativos à Celbi, na Figueira da Foz.

Em Números


85 milhões de euros de investimento na Celtejo
40 milhões de euros de investimento na Celbi
82 mil hectares de floresta são geridos em Portugal pela Altri
1 milhão de toneladas de capacidade de produção anual
959 mil toneladas de pasta foram exportadas em 2016
93% da produção é exportada

Celtejo aumenta capacidade em mais 49 mil toneladas/ano

O investimento que está a ser realizado na Celtejo vai possibilitar a introdução de processos inovadores na produção de pasta de papel tissue, com uma nova abordagem mais eficiente e produtiva. Uma nova caldeira de recuperação, instalação de redução de vapor e uma estação de tratamento de águas residuais industriais de última geração vão permitir que a fábrica de Vila Velha de Ródão aumente a sua capacidade de produção em 49 mil toneladas/ano, passando em 2020, no ano pós-projecto, para uma capacidade total de produção de 267 mil toneladas/ano.

O montante de investimento na Celtejo ascende a 85 milhões de euros. O resultado prático nos próximos três anos é um aumento de 140 milhões de euros na actividade industrial e um valor global de exportações de 96 milhões de euros, cerca de 70% do volume de negócios total da Celtejo. Um importante contributo para o aumento das exportações da Altri e para o dinamismo, a competitividade e a internacionalização da economia portuguesa.

As melhorias a introduzir na unidade fabril contribuem para a criação de emprego altamente qualificado, bem como para a criação de cerca de 400 postos de trabalho indirectos no decorrer do projecto. Uma vez concluído, em 2020, vai possibilitar a criação de 11 postos de trabalho permanentes altamente qualificados e a manutenção de um número total de 197 postos de trabalho permanentes na empresa.

Com o projecto finalizado, a Celtejo integrará o ranking mundial dos cinco equipamentos de topo relacionados com a eficiência energética e o impacto da produção de pasta de papel nas emissões de CO2, NOx e SO2. A eficiência da unidade fabril também passa pela incorporação de uma tecnologia que possibilita maximizar a utilização de matéria-prima na produção da pasta de papel, ao permitir incorporar cepos de eucalipto e não apenas os troncos de madeira. É a única empresa detentora desta tecnologia.

Está ainda previsto que o aumento da capacidade de produção da Celtejo tenha um efeito proporcional e de arrastamento num conjunto de empresas nacionais. A estimativa é que a Celtejo efectue compras e subcontrate serviços em Portugal na ordem dos 90 milhões de euros no ano pós-projecto. Um valor que correspondente a 91% do total das compras, fornecimentos e serviços externos da empresa.

Paulo Fernandes e Borges de Oliveira, recebem o primeiro-ministro, António Costa, na cerimónia que selou o acordo de investimento com o Estado português
Paulo Fernandes e Borges de Oliveira, recebem o primeiro-ministro, António Costa, na cerimónia que selou o acordo de investimento com o Estado português
Explicação do processo produtivo de BEKP da Celbi
Explicação do processo produtivo de BEKP da Celbi
Explicação do processo produtivo de BEKP da Celbi
Explicação do processo produtivo de BEKP da Celbi
Paulo Fernandes, presidente da Altri e Ana Mendonça, administradora da Altri
Paulo Fernandes, presidente da Altri e Ana Mendonça, administradora da Altri
Primeiro-ministro, António Costa, discursa na Celbi
Primeiro-ministro, António Costa, discursa na Celbi
Primeiro-ministro, António Costa, discursa na Celbi
Primeiro-ministro, António Costa, discursa na Celbi

Maior unidade do mundo de descasque de rolaria de eucalipto

Os 40 milhões de euros a investir na segunda maior unidade de produção de pasta de papel da Europa vão permitir prover a Celbi com novo equipamento que visa a intervenção nas etapas de descasque e destroçamento de madeira e na lavagem e branqueamento de pasta. As novas tecnologias adoptadas fazem da Celbi a maior unidade do mundo para descasque de rolaria de eucalipto e contribuem para ganhos operacionais importantes.

Com este investimento, a Celbi torna-se a única empresa europeia detentora deste processo industrial, de elevada capacidade e complexidade, integrando-se no restrito grupo de empresas, ao nível mundial, possuidoras destas tecnologias e desta dimensão de processo.

Altri exporta 93% da produção de pasta de papel


A Altri é um produtor europeu de referência de pasta de eucalipto, com uma capacidade instalada de produção superior a um milhão de toneladas por ano, nas suas três unidades localizadas na Figueira da Foz, Vila Velha de Ródão e Constância. As receitas totais da Altri atingiram 612,5 milhões de euros em 2016, tendo exportado 959,2 mil toneladas, valor que representa uma subida de 2,2% face ao ano anterior e que corresponde a 93% do total das suas vendas. Os principais mercados internacionais foram o europeu e o chinês.

Os recentes investimentos da Altri vão servir para reforçar a posição competitiva de Portugal enquanto produtor de pasta de papel, que hoje lidera logo depois da Suécia e da Finlândia.

Além da produção de pasta de eucalipto, a Altri gere 82 mil hectares de floresta em Portugal e está ainda presente no sector de energias renováveis de base florestal, nomeadamente na co-geração industrial através de licor negro e biomassa. A estratégia florestal assenta no aproveitamento integral de todos os componentes disponibilizados pela floresta: pasta, licor negro e resíduos florestais.