Partilhe nas Redes Sociais

Um ano histórico para emoldurar

O exercício de 2018 ficou marcado por um conjunto de recordes na Altri. As vendas superaram as 1,055 milhões de toneladas de pasta, as receitas alcançaram os 784,8 milhões de euros e os lucros cifraram-se em 194,5 milhões de euros.

Um ano histórico. É assim que se pode descrever o desempenho da Altri em 2018. O ano passado a produção de pasta de eucalipto alcançou um novo recorde, atingindo as 1.097 mil toneladas, mais 54 mil toneladas do que no ano anterior, deste valor total 106,5 mil toneladas são relativas a pasta solúvel (DWP).

No que diz respeito à venda da pasta produzida, a Altri vendeu o ano passado 1.055 mil toneladas de pasta, das quais 950,7 mil toneladas de pasta papeleira e 104,3 mil toneladas de pasta solúvel.

As receitas de venda de pasta ascenderam a cerca de 679,4 milhões de euros, mais 20% do que em 2017, já as receitas do grupo aumentaram para 784,8 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento de cerca de 18% face ao exercício homólogo.

Quem utiliza a pasta produzida pela Altri?

A Europa continua a ser o principal destino das vendas da Altri. Com um total de 735 mil toneladas de pasta comercializada, o Velho Continente (sem contar com Portugal) representa 70% do total das vendas do grupo. Portugal representa 11% das vendas e a China cerca de 9% das vendas de pasta.

Em termos de utilização da pasta, os produtores de papel tissue são os principais clientes da Altri, com uma quota de 48%, seguindo-se os produtores de especialidades e os produtores de papel gráfico de impressão e escrita, com quotas de mercado de 22% e 21%, respectivamente. Os produtores de filamentos de viscose – consumidores de pasta DWP – representam cerca de 9% das vendas.

Paulo Fernandes e Borges de Oliveira, co-CEOs da Altri com o primeiro-ministro António Costa
Paulo Fernandes e Borges de Oliveira, co-CEOs da Altri com o primeiro-ministro António Costa

EBITDA de 293 milhões de euros

O EBITDA de 2018 atingiu os 292,7 milhões de euros, o que representa um crescimento de 53% face ao EBITDA registado no ano anterior. O resultado operacional (EBIT) registado no ano foi de 232,5 milhões de euros, o que representa um incremento de cerca de 69% face a 2017. O resultado líquido da Altri atingiu cerca de 194,5 milhões de euros. Em termos operacionais, o quarto trimestre de 2018 foi marcado por uma redução da procura de pastas de eucalipto à escala global, que se materializou numa descida do preço de venda e num aumento dos níveis de inventário.

Compra da EDP Bioeléctrica

Importa referir que no exercício em análise, a Altri adquiriu à EDP os restantes 50% que não detinha na Bioeléctrica e suas subsidiárias, unidades que se dedicam à produção de energia eléctrica através de biomassa florestal.

A operação de produção de energia a partir de biomassa da Bioeléctrica foi consolidada integralmente pela primeira vez no mês de Dezembro. Assim, a demonstração consolidada dos resultados inclui um mês de actividade da Bioeléctrica e das suas subsidiárias.

O resultado líquido do período em causa foi impactado pela mais-valia contabilística associada à aquisição da Bioeléctrica, com um impacto positivo de cerca de 26 milhões de euros. Assim, no quarto trimestre de 2018 o resultado líquido ascendeu a cerca de 74,1 milhões de euros, mais 164% relativamente ao lucro registado no quarto trimestre de 2017 e correspondendo a um crescimento de cerca de 59% face ao trimestre anterior de 2018.

O endividamento nominal remunerado líquido deduzido de disponibilidades da Altri a 31 de Dezembro de 2018 ascendia a 433 milhões de euros. Assim, a dívida líquida aumentou cerca de 45 milhões de euros face à dívida líquida de 388 milhões de euros, registada no fim de 2017, em resultado essencialmente da aquisição da Bioeléctrica.

Separador

A Altri adquiriu a totalidade da EDP Bioeléctrica para produção de energia eléctrica através de biomassa florestal.

1.097
mil toneladas de pastas de eucalipto produzidas (+5%)

1.055
mil toneladas de pasta vendidas (+0%)

232,5
milhões de euros (+69%) de resultado operacional

61,5
milhões de euros de dividendos pagos

433
milhões de euros. Dívida líquida remunerada (31 Dezembro 2018)

24%
de Return on Capital Employed (EBIT/ (capital próprio + dívida líquida))

€0,72
é o dividendo por acção proposto à Assembleia-Geral